quarta-feira, 20 de abril de 2016

O que é ser de Direita ou Conservador?

O que é ser um Conservador?



Muita gente desinformada, acredita que ser de direita ou conservador, é seguir os ideais de ditaduras Militares, confundem ideais clássicos com a força adotada em regimes de exceção. Não, ser conservador não é ser a favor de ditaduras, torturas, mortes, ou perseguições dos diferentes políticos, não é ser a favor do olho por olho, dente por dente, típico de marginais que não tem as leis constituídas como princípio. Aqui coloco alguns ideais do Conservadorismo, e se vc se encaixa em algum deles, sim, vc é de direita.

O conservador é guiado por um forte senso de certo e errado, que são conceitos absolutos. Não há espaço para o relativismo moral: para o conservador, o fim jamais justifica os meios.

O conservador acredita que a mudança é um meio necessário para a conservação e aprimoramento da ordem social.

Mas nem toda a mudança é para melhor. Mudanças precipitadas podem destruir a ordem social. O conservador adota a prudência diante das mudanças radicais, buscando entender suas consequências futuras acima de seus efeitos superficiais imediatos.

O conservador entende que os costumes e convenções, herdados das gerações passadas, passaram pelo teste do tempo: são o resultado de séculos de tentativa, reflexão e sacrifício. Por isso, devem balizar as mudanças na sociedade.

O conservador tem afeição pela diversidade da existência humana, em oposição à uniformidade e ao igualitarismo dos sistema radicais. Os conservadores não procuram forçar a uniformidade sobre a humanidade.

O conservador afirma a igualdade perante Deus e os tribunais. Qualquer outra tentativa de nivelamento leva à estagnação social ou a novas formas de desigualdades pelas mãos de tiranos.

Deus, Família e a Pátria são pilares fundamentais nos ideais conservadores, os princípios éticos e morais, a observância de leis justas feitas para o bem estar de todos.

Sendo o homem imperfeito, nenhuma ordem social perfeita jamais poderá ser criada. Buscar uma utopia é terminar em desastre. O que podemos esperar é uma sociedade razoavelmente ordenada, justa e livre. Através de reformas prudentes, podemos preservar e aperfeiçoar a ordem social.

Ganhar e gastar não são os objetivos principais da existência humana, mas sim a construção de uma base econômica sólida para as pessoas, as famílias e a comunidade. Redistribuição de riquezas, através de taxas e outros meios, não é sinônimo de progresso econômico.

Liberdade e propriedade privada estão intrinsecamente ligadas. Sem a propriedade privada, o poder do Estado sobre os indivíduos é incontrolável.

A meritocracia aliada a oportunidade igual para todos, o trabalho como direito e honra 

O conservador é movido por um desejo de descentralização do poder, menor interferência governamental e maior liberdade individual.

Veja:

Roger Scruton, o filósofo conservador mais proeminente da atualidade, e um convidado do IPA da Austrália, discutem as atitudes de intolerância e contra a liberdade de expressão por parte da esquerda, ao mesmo tempo em que definem o que afinal é ser um conservador. Esta entrevista se deu no The Bolt Report, no Canal Dez da Austrália, em 11 de Maio de 2014, em ocasião do lançamento do livro "How To Be a Conservative"



Recomendo a leitura de uma versão condensada do livro The Conservative Mind, produzida pelo Alabama Policy Institute.

sábado, 2 de abril de 2016

Gilmar Mendes desafia ministros do STF: "Assumamos então que estamos manipulando o processo!".

Gilmar Mendes desafia ministros do STF: "Assumamos então que estamos manipulando o processo!".




Com base em suas declarações, a interpretação mais cabível é a de que o Ministro Gilmar Mendes se recusou a participar do golpe contra o poder Legislativo, ao mesmo tempo em que alertou seus pares sobre as consequências de seus atos.

A decisão do STF abala profundamente a credibilidade da justiça.  Indignado, o ministro desafiou seus colegas: "Vamos dar a cara à tapa. Estamos tomando uma decisão casuística. Assumamos então que estamos manipulando o processo.", referindo-se à interferência do tribunal nas decisões da Câmara dos Deputados.

O ministro afirmou que "ninguém vai ser salvo de impeachment por liminar".

“Lembra que eu tinha falado do risco de cooptação da Corte? Eu acho que nesse caso isso ocorreu”, declarou o ministro.

“Diante desse quadro de grave crise de corrupção, nós vamos ficar fazendo artificialismos jurídicos para tentar salvar, colocar um balão de oxigênio em alguém que já tem morte cerebral”, disse em referência à crise enfrentada pelo governo petista.

Para Mendes, “há todo um projeto de bolivarização da Corte”. Segundo ele, é assim que “se opera em outros ramos do Estado”.

"Os 171 votos necessários para permitir que se escape de impeachment não são suficientes para governar. Estamos ladeira a abaixo, ontem fomos desclassificados mais uma vez, estamos sem governo, sem condições de governar, com um modelo de fisiologismo que nos enche de vergonha.", finalizou.

Fonte: http://www.imprensaviva.com